9 de agosto de 2011

Para meu Pai

Esse domingo é dia dos pais. Meu pai não chega nem perto de computador, mas vale o registro e a homenagem. 
Ele é um concertador, inventor, padeiro, confeiteiro, cientista, um amigo, um marido, um pai, MEU PAI.
Uma pessoinha fechada dentro de uma conchinha feita de Durepoxi (risos), com uma pequena frestinha para poucas palavras, muitas lições, carinho, disposição, dedicação, trabalho, para fazer coisas gostosas, concertar, plantar, podar, colher, criar e recriar.
Dessa frestinha acredito que ele vê os patinhos que desenha desde que me entendo por gente (deve ser por isso que amo patos), comendo miolos de pão, referência direta e marcante dele, menos para o neto, que faz valer o ditado "casa de ferreiro espeto de pau" - "casa de padeiro, café com maizena".
Meu obrigada por todo carinho, amor e ensinamentos.
Minha admiração.

2 comentários:

  1. Belas palavras!
    Muito lindo mesmo!

    Abraços,
    Carol
    http://bembemsimples.blogspot.com

    ResponderExcluir