11 de julho de 2012

Bolinhos de chuva

Chuva em Salvador a dois dias, um frio meio baiano e eu aqui no meu canto pensei em bolinhos de chuva. Tenho a maior vontade de comer bolinhos de chuva, na verdade gosto do nome, já ouvi em  novelas e sei lá mais onde. Tem um quê de guloseima de casa de vó, de receita da tia Anastácia. Engraçado é que eu curiosa como sou, nunca tenha parado para me perguntar, nunca tenha parado para perguntar ao Google o que são esses tais bolinhos que desejo.
Também me ocorreu do porquê de eu  nunca ter pedido para meu pai padeiro e confeiteiro de mão cheia fazer tais bolinhos, embora ele seja espanhol, se não soubesse o que são descobriríamos e eu já teria comido dúzias deles ou cortado da minha lista de desejos.
Pois bem, após gastronômica pesquisa descobri que os tais bolinhos de nome poético, são como tudo que é bom, pura simplicidade. Uma mistura de farinha, ovo, leite, fermento e açúcar.
Com tudo comigo tem história, lá fui eu atrás da história do bolinho de chuva e achei por ai a explicação de que no final do século XVIII, o trigo era pouco, caro, vinha de Portugal, e raras eram as receitas com a “Farinha do Reino”, então os bolinhos eram feitos com mandioca e muitos ovos, açúcar, leite, fritos em gordura de porco e eram chamados dentre outros nomes de Quero-Quero.
Creiam que por muito tempo foram à comida do entrudo (assim se chamava o carnaval naquela época) e eram apelidados Filós de Carnaval, com direito a sotaque português na pronúncia.  Tempos passados e renovados, grandes tabuleiros eram montados nas esquinas e nas praças das cidades, ofertando esses históricos bolinhos, que receberam em cada canto muitos nomes, apelidos, adaptações e recheios.
Monteiro Lobato nas maravilhosas e atemporais histórias do Sítio do Pica-Pau Amarelo encheu a todos de desejo nos muitos episódios em que Narizinho, Emília e Pedrinho comiam os Bolinhos de Tia Nastácia. Olha minha lembrança infantil enraizada em mim. Quem ai lembra-se da história Minotauro no labirinto, onde ele prova o bolinho e fica com os olhos brilhantes? “Acabou completamente manso, esqueceu até a mania de comer gente”.
Mas, foi no século XX, que alguém (não descobri quem), lhe deu o nome de Bolinho de Chuva, lembrando a alegria das crianças nos dias de chuva, ao comer os bolinhos como recompensa por não poderem correr ou brincar nos quintais por causa do tempo chuvoso.

22 comentários:

  1. Vou esperar a chuva chegar por aqui para fazer os meus.
    E eu é que sou a Magali, né?!

    ResponderExcluir
  2. Olá Tina!
    Gostei de saber da história dos bolinhos de chuva! Quase não acreditei que você nunca provou dessa delícia com gosto de infância!!! Eu como esses bolinhos desde que me entendo por gente feitos pela minha querida avó Jenny :)
    E a tradição se perpetuou aqui em casa, meus filhos também adoram, hehe!
    Como você disse é uma receitinha super fácil, além de rápida e gostosa!
    Bjsss

    ResponderExcluir
  3. Ai que lindo, me arrepiei lendo isso!

    ResponderExcluir
  4. Tina, a cena gastronômica aqui no seu blog anda forte, só dá ideia fraca na cabeça da gente, kkkkkkkk

    Eu AMO bolinhos de chuva, por isso passo bem longe deles :(

    É a cara da infância: sessão da tarde, sob as cobertas e um pratão desses bolinhos cobertos de açúcar & canela...

    beijos

    ResponderExcluir
  5. Bendito seja esse não sei quem, que deu um nome tão poético a um "gosto de infância".
    O único problema é que eu não consigo esperar os dias de chuva :-)
    Beijin carinhoso

    ResponderExcluir
  6. ADORO bolinhos de chuva com açucar e canela... uhhh!!delicia!

    "São saudades de um mundo contente feito céu estrelado. Feito flor abraçada por borboleta. Feito café da tarde com bolinho de chuva. Onde a gente se sente tranquilo como se descansasse num cafuné. Onde, em vez de nos orgulharmos por carregar tanto peso, a gente se orgulha por ser capaz de viver com mais leveza."

    Vem pra Goiás Tina pra gente tomar café da tarde com bolinho de chuva e jogar conversa fora.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita proposta arretada de boa essa sua.
      Amei o texto, como sempre. Vc é ímpar.

      Excluir
  7. Olá Tina! Não conhecia a história no bolinho... tem tempo que não faço, me animei...beijo grande
    http://cantinhodagalega.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Ah guria...lindo demais o seu texto, e claro, junto dele a gente que la´vem história!!!! êita coisa boa sô!!!
    Tem um detalhe sórdido quanto ao tal bolinho. Ele só dá certo em dias de chuva!
    Freud explica?
    ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mistérios misteriosos ou coisas de bolinhos que tem muita história para contar e se acha no direito de ser temperamental, vá saber :)

      Excluir
  9. Linda amei este post, me fez sentir o gostinho dos bolinhos de chuva que minha vó fazia para mim, o saudadeeee. Amanhã estou indo para Jussara vou ver se minha mãe tem exatamente as medidas do bolinho que ela fazia, os dela tinha um pouco de queijo ralado. Saudade d++ você. Adorooooo Dani - Goias

    ResponderExcluir
  10. Tina!! Seu blog só me leva a reflexão e saudades..saudades da minha infância do Sítio do Pica Pau Amarelo e os bolinhos de chuva!! Bjs. Sandra

    ResponderExcluir
  11. Oi Tina!

    Bolinho de chuva acompanhado de aula de história,só a menina Tina mesmo.Adorei!Minha avó,como quase todas as avós mineiras,fazia estes bolinhos e passava no açúcar com canela...eram deliciosos.Mas fazia sem receita,no "olho"(como tocar um instrumento "de ouvido").
    Bjsssss,
    Leninha

    ResponderExcluir
  12. Tina querida,
    Que maravilha de postagem!
    Eu que sempre comi bolinhos de chuva, nunca tive a curiosidade de pesquisar sobre eles.
    Amei!
    Meus filhos adoravam quando eu fazia. Pena que hoje em dia, com a preocupação de todos com a saúde e silhueta, nunca mais eu tenha feito ou comido.
    Beijo carinhoso.

    ResponderExcluir
  13. Uma das mais gostosas coisas da infância são estes bolinhos de chuva. Fáceis de fazer e um lanche barato para as famílias sem muito recurso na época da minha infância...

    Como sempre Tina, vale muito a informação que repassas. Eu nunca iria atrás de saber a origem dos tais bolinhos.

    Obrigada pelo carinho comigo, sempre!

    bjs

    ResponderExcluir
  14. Bom dia Tina,
    Você acredita que já comi muitos bolinhos de chuva, inclusive em dia de chuva mesmo, mas nunca fiz os tais bolinhos.
    e é como disse: pura simplicidade.
    Vivendo e aprendendo.
    bjão e uma quinta cheia de doçura.
    Mari

    ResponderExcluir
  15. Adorei a sua postagem... Eu adoraria comer um bolinho de chuva!
    Beijos
    Lita

    ResponderExcluir
  16. Lembro, quando criança, acordava pela manhã sentindo um cheirinho de bolinho de chuva... Nossa!Saia do quarto correndo pra beira do fogão e esperava minha mãe servir, com carinho, bolinhos deliciosos e cheirosos!! Ou no final da tarde quando voltava da escola, um pote de bolinhos e um copo de nescau... Assistindo ao Sítio do Pica pau amarelo!

    Doces lembranças...

    bjbjbj

    ResponderExcluir
  17. Já lhe falei q meu pai também foi padeiro de mão cheia? Cresci brincando em sacos de farinha.
    Também adoro o nome - bolinhos de chuva. Acho q gosto + do nome do q do bolinho em si.

    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Q legal...pai padeiro é bom d+ né?
      Depois te conto se gosto mais do nome ou dos bolinhos, do nome eu gosto muito então os bolinhos tem que ser divinos :)
      Ontem eu ri sozinha vendo a novela a noite, pois uma das personagens, levou para o filho postiço, para acarinhar ele, bolinhos de chuva.

      Excluir
  18. Tudo de bom...belo domingo beijo Lisette.

    ResponderExcluir