10 de dezembro de 2012

Praças, passeios de infância e eu

Quando eu era pequena lembro-me de alguns passeios clássicos como ir a Ribeira, beira mar onde há barquinhos atracados e uma famosa sorveteira que sempre foi de um mesmo dono, um espanhol, mas hoje já não é mais. Íamos também ao Jardim da Piedade, onde tem uma Igreja de Nossa Senhora da Piedade e era a casa de meus tios e padrinho e embaixo a Padaria Piedade, onde hoje é um Shopping. A padaria ainda existe e meu padrinho tá lá, estão também os pães de leite e de milho, os biscoitinhos jesuítas e paciência, sonhos que são um sonho.
Nessa praça da Piedade que me fez viajar até a padaria, algumas coisinhas mudaram, por exemplo os camaleões que haviam por lá, não estão mais lá, em compensação há um lindo gradil novo em volta e a fonte, ainda está lá, adoro fontes.
Outros jardins também eram parte de meu roteiro, como o Campo da pólvora, que se transformou completamente, ficando apenas na memória e o Campo Grande, onde fica o famoso teatro Castro Alves, aonde há muitos pombos e uma imponente fonte, perto de onde caí de joelhos em cima de uma tampinha de metal de refrigerante virada pra cima.  Será que a teoria do infortúnio do biscoito  que teima em cair com a manteiga para baixo, vale para caídas em tampinhas viradas para cima?
Todas essas lembranças vieram se súbito ao passar essa semana que passou pelo Jardim de Alah, que não é um jardim, é orla, antigamente local preferido para piqueniques, hoje ponto de caminhadas, pedaladas, futebol e vôlei de areia e de massagens. Lugar que sempre fui quando pequena e hoje é o ponto de partida das pedaladas de bike minhas e de meu marido aos domingos e nunca me perguntei, por que jardim? Que Alah é esse?
A praia em questão é exibe um lindo coqueiral, grama, areia e marzão. Um retrato de cartão postal e  a história que achei foi que morava em uma cabana nesse coqueiral, que fazia parte de uma fazenda, um muçulmano que cumpria assiduamente suas obrigações religiosas em louvor a Alah (Deus), daí o batismo. Fui atrás dessa história, afinal muita gente sabe que Itapuã (praia famosa aqui) significa “pedra que ronca” e Itaparica (ilha mais popular daqui) significa “cercada de pedra”, nomes de origem tupi-guarani, mas poucos devem saber a origem do nome da praia Jardim de Alah.
Chega de praças e passeios que hoje é segunda-feira. Vamos arregaçar as mangas! Boa semana!

4 comentários:

  1. Bom dia Tina Flor de Laranjeira!!! E vc me manda arregaçar as mangas, Ó Lord! Nem imagina o caos que etá por aqui, mas vamos que vamos...ontem levei as crianças para ficarem com minha mãe uns dias e Alecrim estava por lá, pois ela mora perto, e eles ficaram bem...apenas eu que voltei sozinha 3 horas e meia de viagem para Amparo chorando. Primeira vez que me afasto deles, mas não tinha escolha...estamos com pedreiro na casa nova e por aqui tudo embalado. E eu preciso limpar e pintar...então não tive escolha, mas como dói o coração!
    Enfim Tina...voltando ao seu passeio cheio de recordações, nomes, lembranças, e tampinhas que teimam em cair para cima! Bem é verdade...eu nunca aproveito um biscoito que cai...
    Bom...vou trabalhar mais um pouco, estou com saudades de Blogar, e ontem de noite meu Laptop queimou do nada. Ainda bem que tenho o velho PC na cozinha que está ainda firme, porém lento!
    Beijos Tina, Nutellas e te desejo uma ótima semana cheia de muita paz na sua casa!
    CamomilaRosa

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Tina.
    dizem que recordar é viver não é mesmo? E ter boas lembranças é um grande privilégio. Também tenho as minhas que guardo com todo carinho.
    Arregaçar as mangas nesse calor todo?....sim o trabalho não espera, então como disse camomila: vamo que vamo!
    bjão e um ótimo dia.
    mari

    ResponderExcluir
  3. Olá Tina, como é bom viajar no tempo, não é mesmo??
    Tenho também muitas e boas recordações da infância...Bom é poder voltar nos lugares já vividos e reviver novamente as sensações!!

    Linda semana!!
    Beijos!!♥

    ResponderExcluir
  4. Como é bom de se ler os Recuerdos de Tina. A gente vai lendo e passeando junto com a leitura. Como nossas "manias" são mais ou menos iguais o passeio fica mais agradável. Hoje além de passear por diversas praças aprendi o porque da praia Jardim de Alah, Itapuã (Pedra que ronca) e Itaparica (cercada de pedra).
    Foi um passeio e tanto, mas agora, mãos a obra, rs...rs.
    Uma ótima semana para vocês
    Manoel

    ResponderExcluir