23 de novembro de 2013

Nós maiores

Penso que somos muitos por estarmos nos outros e provocarmos sentimentos e movimentos por conta dessa nossa presença e assim sendo, há muitas pessoas em nós. Com o mundo, não é diferente, no que tange a natureza, as coisas materiais e espirituais, seja qual for nossa crença, temos o dever de sermos muitos, responsáveis, empreendedores, multiplicadores, zeladores do bem coletivo.
Não adianta que nosso mundinho esteja em perfeita harmonia, como li outro dia para descontrair, uma grande verdade é que amigos e parentes felizes, não enchem o saco, então os outros a nossa volta em pequena e grande escala, em harmonia são um ingrediente importante para o crescimento do "Bolo da felicidade".
Em uma linguagem mais literária e filosófica: "O fato de o mar estar calmo na superfície, não significa que algo não esteja acontecendo nas profundezas". E eis que na ilha da minha caixa de mensagens recebi por e-mail, de Ana Paula, a indicação de uma produção, ver trailer aqui
"Agente não nasce pronto e vai se gastando, a gente nasce não pronto e vai se fazendo", frase ímpar de Mário Sergio Cortella que colabora para essa produção, um filme filosófico, poético, provocador de uma busca de perguntas, de respostas, de autoconhecimento e entendimento do mundo e do que pode ser, em diferentes formas e dimensões a tão sonhada Felicidade.
"Cuidar é mais que um ato; é uma atitude. Portanto, abrange mais que um momento de atenção. Representa uma atitude de ocupação, preocupação, de responsabilização e de envolvimento afetivo." Bem definiu Leonardo Boff em um de seus discursos, de onde recortei cuidadosamente esse pedacinho e cuidado é algo que devemos ter para com quem amamos, para conosco, com as coisas, com o mundo em que vivemos. Cuidar de quem não conhecemos também é tarefa nossa. Querer tal coisa, achar tal coisa legal por exemplo, porque atende a muitas pessoas, gostos e interesses e não só aos nossos.
Quanto melhor podemos ser? Não mais, melhor, mais corretos, agregadores, mais leves. Quanto menos podemos ser? Menos julgadores, amargos, rancorosos, interesseiros, mascarados, inertes.
O que você conhece do mundo, dos fenômenos naturais, de ciência, geografia, física? O que você sabe da história da humanidade, do pais onde você nasceu, da sua cidade, da sua religião, de seus pais, seus filhos, sua esposa, namorado, avô...? "A vida é uma eterna mochila, pegue a tua e vai!" simplificou a cineastra Laís Bodanzky no final do trailler cujo link vale super a pena conferir, bem como a postagem em conjunto comigo, para ter mais força, multiplicar e somar, que Ana fez, clica aqui para ler e comentar. O filme estará em cartaz a partir desse mês e também disponível para venda e outras propostas: aqui.

9 comentários:

  1. Não nascemos prontos, a gente vai se fazendo. E podemos "nos fazer" a cada dia, melhores. Nem sempre fácil ou simples, mas tão possível.
    Desde que coloquei a mochila nas costas e saí caminhando pela via blogosférica, tenho encontrado muito que me agrega, traz reflexões, multiplica, soma. Somos muitos!
    Por menos rancor, amarguras, palavras desnecessárias.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Ana Paula e Tina


    Aplausos para as duas que tiveram essa brilhante ideia de compartilhar tudo isso.

    Esse trailer nos dá a noção de quanto o filme será bom!

    Parar pra pensar, seja onde e no lugar que for, sobre nós e o mundo, nossa relação COM o mundo, COM os outros do mesmo mundo só nos acrescenta! Que mais e mais pessoas parem um pouco suas corridads do dia a dia, tantas vezes bobas e sem a menor razão de ser, para pensar nisso!beijos às duas,chica ( Fiz o mesmo comentário para as duas!)

    ResponderExcluir
  3. Oi Tina, fiquei super feliz com a sua iniciativa e da Ana Paula!
    Esse filme é incrível! Participei do mutirão de arrecadação de fundos na fase de produção, pois estava muito difícil concluí-lo e fiquei super feliz quando soube que iria estrear. Vou postá-lo lá no mulheres na próxima semana.
    Já postei várias entrevistas do filme ao longo do ano lá no blog, uma das minhas preferidas é a do Kaká Werá.
    Bjs querida e ótimo final de semana

    ResponderExcluir
  4. Olá, Tina.

    Fiquei com supervontade de ver o filme.

    Você é uma habilidosa pescadora, sabia? Fisga com as palavras desde a primeira linha...

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Esta semana recebemos um presente incrível de você e da Ana Paula!
    São sementes como esta que precisamos espalhar, distribuir e presentear...
    Assim nos sentimos parte integrante deste todo que precisa que a ficha caia para ser melhor...
    Bjs
    Vania

    ResponderExcluir
  6. Muito legal mesmo, vou aguardar.... Bjão,

    ResponderExcluir
  7. Vi esse filme lá na Luma, na Ana e agora aqui! Achei muito interessante o trecho que assisti e essa semana vou reservar um tempo só pra ele. Vai valer a pena,já senti! bjs e boa semana,

    ResponderExcluir
  8. Olá Tina, boa noite! Cheguei até aqui através do blog da Vania, e já passei pelo blog da Ana,simplesmente adorei tudo que vi e li.Parabéns pelo chamado sobre o filme, fui até lá mas não consegui assistir o trailer, mas te garanto que vou assistir o filme. Tudo que for para a transformação de uma melhora entre nós mesmos e o mundo que nos rodeia é sempre muito bem vindo e necessário, precisamos aprender a viver melhor e entender o porque estamos aqui nesse universo. Não estamos aqui atoa não é mesmo? Adorei toda a sua escrita... Te seguindo com muito gosto.
    Beijos com carinho
    Marilene
    >Marilene folhas flores e sutilezas</

    ResponderExcluir
  9. Oi, Tina!
    A Chica avisou que você e a Ana Paula também tinham postado sobre o documentário... Estou encantada e ouvindo as entrevistas em separado. Tem muito material que não foi usado no filme.
    Acredito que a felicidade utópica não existe, mas uma harmonia interior que transcende e nos deixa em paz e também acredito que nunca serei feliz se lá na África alguém que eu não conheça esteja morrendo de fome. Fazemos parte de um todo, não somos peças avulsas no universo. Somos um corpo que precisa de todas as partes funcionando perfeitamente - A nossa insatisfação permanente se deve à essa falta de consciência.
    Beijus,

    ResponderExcluir